Geral

Unimog 4×4 um sonho off road

Colecionar veículos militares antigos é uma paixão para poucos e os que são assíduos investem muito para ter o “fiel companheiro” nas melhores condições. Um desses amantes é o colecionar Ulisses Valarelli, que adquiriu direto da Alemanha, um caminhão militar Unimog U 1300 l, deixando tudo nos “trinques”, como se diz popularmente.

Primeiramente, Ulisses fez a desmontagem da cabine e caçamba para o jateamento de várias peças que possuíam várias camadas de tinta antiga, além da pintura geral. A cor usada foi a RAL 6014, original do exército alemão, feita numa casa de tintas, que possuía o programa da tabela “RAL” que mostrava a quantidade de cada cor para ser misturada para se chegar ao tom de verde. A parte mecânica foi totalmente revisada na Alemanha, com a troca de relação de coroa e pinhão por outra mais longa, opcional que era oferecido na época e de série nos Unimogs 1300l de bombeiros. A próxima etapa seria a troca da madeira do piso da caçamba por madeira plástica. Todos os parafusos, porcas e arruelas que foram desmontadas acabaram trocados por outros iguais de inox.

Como colecionador, o proprietário inscreveu no caminhão sua placa preta, com o processo correto após a importação do veículo. Além de toda estrutura, o Unimog traz curiosidades históricas. “Os Unimogs são exportados para vários países que estão em conflito, principalmente no Oriente Médio. No caso do meu modelo, o exército alemão encomendou mais de 12.000 unidades a partir de 1978, na época da Guerra Fria. Ele possui ainda apenas os suportes de metralhadoras dentro da cabine e a base do suporte giratório na escotilha, no teto”, informou.

Ulisses não imaginava a quantidade de amigos que faria em solo brasileiro, apaixonados o tanto quanto por caminhões militares. Agora, o colecionador começou a fazer algumas viagens com o veículo. “Fui para Campos de Jordão e Ubatuba, Pantanal, Santa Catarina, e pretendo avançar um pouco mais. O Peru é um dos lugares que quero ir.”

Trilha Pantanal Coxim -MS

Paixão pelo Off Road

A idolatria de Ulisses por veículos militares e todo este mundo começou dentro do Off Road. “Gosto de fazer expedições. Já tive duas Toyotas Bandeirantes, um Samurai, um Troller, um Kia Sportage e um Kia Ceres 4×4, este último eu desmontei todo e montei restaurando. Com a venda deste último, e mais um tanto a mais, comecei a ‘saga’ da procura real do Unimog, que para mim seria o veículo ideal para expedições”, contou.

A primeira vez que conheceu um Unimog foi de um amigo, chamado René, que trabalhou na Mercedes e possuía um 404. Após este episódio, Ulisses viu passar um 1300l do exército brasileiro na Rodovia Castelo Branco. A partir daí, e com a abertura da importação para veículos, o amante não parou de buscar todo tipo de informação sobre os Unimogs no mundo, seja de valores, estrutura, detalhes e formas de trazê-lo. A pesquisa foi extensa e demorada.

Após todo o estudo decidiu adquirir o caminhão na Alemanha e que fosse um modelo “moderno”, ou não tão velho, com cerca de 30.000 a 60.000 km rodados, e a opção final ficou pela versão U 1300 1. Já em Berlim começou a busca pelo modelo escolhido.

Após algumas viagens, Ulisses chegou à empresa Schuessler (http:// www.schuessler-unimog.de/), em Landsberg, e lá encontrou toda estrutura necessária, além das garantias, para conseguir seu artefato. “Como existem poucos Unimogs 1300 l com a idade que eu precisava, eles acabaram por vender um que era de uso deles que fora também comprado em leilão anos atrás. Fechei negócio. Troquei a relação de diferenciais por outras mais longas e os pneus, por medidas maiores. Tudo mantendo a originalidade, pois ambos são opcionais oferecidos na época”, explicou.

Com tudo feito e da maneira mais correta possível, Ulisses terminou a aventura atrás do seu sonhado Unimog e hoje vive uma feliz relação com sua máquina, cheia de histórias, antiguidade e ares de adrenalina.

Os segredos da importação de veículos no exterior

 Importar veículos militares de outros países nunca foi tarefa fácil, mas os amantes destes tipos de automóveis e que gostam de colecionar sempre procuram uma maneira eficaz. Hoje, com ajuda profissional, o serviço ficou mais rápido, seguro e qualitativo, diferente do que era.

O despachante aduaneiro Ricardo Marracini, da Concorde, empresa especializada em importações e exportações, revelou algumas dicas eficazes e importantes para o trabalho ser bem feito, primeiramente o óbvio: procurar ajuda profissional e não tentar fazer sozinho. Uma série de observações devem ser notadas, tais como:

  • Contratar uma Comissária de Despachos Aduaneiros (com seus profissionais e despachantes);
  • Cadastrar o cliente (importador) na Receita Federal do Brasil para obter o deferimento do Radar e acesso ao Siscomex;
  • Associar-se a um Clube de Autos Antigos, registrado na FBVA;
  • Entrar em tratativa com o Exportador para acertar valores e documentos necessários para atender a Aduana do país e no Brasil;
  • Efetuar o fechamento de câmbio, através de corretora;
  • Efetuar a Logística do exterior até o Brasil, verificar todos os custos de container, estufagem, liberação na origem e despesas no Brasil;
  • Solicitar após o deferimento do Radar a L.I. Licenciamento de Importação, LCVM, Clube, CAT-Denatran e finalmente o embarque do Veículo;
  • Na chegada ao Porto poderá ser liberado na Zona primária ou remover através de DTA para Zona Secundária;
  • Registrar a D.I. Declaração de Importação e efetuando todos os pagamentos de Imposto de Importação, IPI, PIS, COFINS, ICMS;
  • Após o registro retornará com um número e aguardando a parametrização que poderá ser verde, amarelo, vermelho ou cinza;
  • Após a conferência física e documental da mercadoria importada o Auditor da Receita fará o desembaraço aduaneiro e a inclusão no pré-cadastrado do Denatran;
  • Os impostos federais são todos pagos on-line via Siscomex com débito no Banco ora cadastrada com o CPF do despachante;

Os custos variam entre 130 e 150% do valor original do veículo. A liberação da mercadoria ocorre após o deferimento de todas as licenças, evitando multas e demora na emissão dos documentos, facilitando o envio. As importações para antigos carros, caminhões, aviões, deverá respeitar a Lei com o mínimo de 30 anos.

O apaixonado por veículos, Ulisses Valarelli, utilizou este sistema para conseguir trazer seu Unimog U13001L de 1979, da Alemanha, após uma pesquisa de mais um de ano na internet. “Era meu sonho desde a minha adolescência, quando comecei a ter contato com veículos Off Road”, disse.

O colecionador viajou pela Alemanha até chegar a cidade de Landsberg e fechar negócio, comprando em uma empresa especialista em Unimogs,  Schuessler (www.schuesslerunimog.de), pois fariam uma revisão completa, além de visitar e comprar diversos manuais de mecânica e peças. O amor pelo Unimog aconteceu pela procedência militar que traz veículos em bom estado e pouco rodados.

Para quem quiser mais informações sobre o processo, basta contactar Ricardo Marracini, no tel: (11) 5081-7682.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.