Quadri/ATV/UTV, Rallys

Rodrigo Varela segue na dianteira em um dia de empate técnico

Rodrigo Varela e Filipe Palmeiro vencem a sexta etapa Foto: Donizete Castilho/Fotop

Por nenhum segundo de diferença. Esse foi o resultado verificado entre os dois primeiros Can-Am Maverick X3 que cruzaram a linha de chegada da sexta etapa do Rally dos Sertões, o maior das Américas, realizada nesta quinta-feira, 19 de agosto. As duplas Rodrigo Varela e Filipe Palmeiro e Deninho Casarini e Ivo Mayer deram um verdadeiro nó no cronômetro, passando ao mesmo tempo: 4h14min37s.

Incrível pensar que depois de 328Km de trilhas sinuosas de terra, com inúmeras variações de traçado, morros, buracos, valetas e todas as variáveis ambas terminariam empatadas até nos segundos. Mas não nos milésimos, três apenas, que acabaram dando a vitória para Varela e Palmeiro e os mantendo na liderança da classificação geral pelo terceiro dia consecutivo. Casarini e Mayer também seguem em segundo no acumulado, por uma diferença de 1min10s.

A etapa com percurso de 476Km entre Xique-Xique (BA) e Petrolina (PE), e a segunda parte da maratona, foi batizada de “Velho Chico”, já que uma parte do trecho cronometrado de prova passou ao lado da transposição do Rio São Francisco, garantindo aos participantes belas paisagens no roteiro.

Deninho Casarini/Ivo Mayer Foto: Gabriel Heusi

“É incrível pensar que, depois de 328km de corrida que disputamos hoje, empatamos até nos segundos. Três milésimos equivalem a pegar um sopro de vento de frente em uma reta mais longa, por exemplo. Isso mostra por que o Sertões é uma corrida especial e com um nível de competitividade excepcional”, resumiu Rodrigo Varela e complementou: “Difícil imaginar que continuaremos assim, mas está claro que ninguém pode sequer piscar fora de hora que já pode perder uma posição nessa corrida”.

Três milésimos de segundos

A curva à direita que tirou Deninho Casarini e seu navegador Ivo Mayer da estrada pode ter custado a diferença mínima entre as duas primeiras duplas: “Largamos bem e vínhamos em um bom ritmo até sair da estrada e derrubarmos uma cerca, duas árvores podres e o resto nem vimos. Voltamos com cautela e andamos 20km para verificar se o Maverick X3 estava bem. Estava. Então, partimos para a recuperação até igualar o tempo do Rodrigo e do Filipe”.

Já o terceiro colocado do dia, Deni Nascimento, acredita que algumas avarias da prova anterior impactaram o desempenho do veículo. De todo modo, o piloto e seu navegador Idali Bosse, conseguiram impor um bom ritmo: “O que nos deixa felizes é que, depois de um início bem complicado, estamos melhorando degrau a degrau e chegamos ao décimo-terceiro lugar no ranking acumulado. Agora é manter o foco para ver se conseguimos fazer o top 10 do rali”.

O sexto lugar da dupla Gabriel Varela e Filipe Bianchini, que vem realizando uma corrida de recuperação após um acidente no segundo dia de competição, foi bastante comemorado: “Hoje conseguimos andar bem rápido e avançar na recuperação. Amanhã vamos largar mais na frente, o que deve nos ajudar nessa retomada”.

Gabriel Varela/Filipe Bianchini Foto: Marcelo Maragni/Fotop

A sétima etapa do 29º Sertões promete oferecer mais um trecho de belas paisagens, em região de montanhas e cânions. Batizado de “Lampião”, o trajeto de 240 quilômetros entre Petrolina (PE) e Delmiro Gouveia (AL) passa pelos mesmos lugares onde o lendário personagem usou para se esconder dos coroneis, segundo reza a história.

Resultados extraoficiais – etapa 6 (Geral)

1.   Rodrigo Varela/Filipe Palmeiro, 4h14min37s

2.   Denísio Casarini/Ivo Mayer, a 00min00s0

3.   Deni Nascimento/Idali Bosse, a 01min25s0

4.   Otávio Leite/Wladimir Grunenberg, a 01min37s0

5.   André Hort/Matheus Mazzei, a 02min30s0

6.   Gabriel Varela/Filipe Bianchini, a 02min30s0

7.   C Currie/S Laxon, a 03min09s0

8.   João Monteiro/Victor Hugo Melo, a 03min43s0

9.   Gustavo Zanforlin/André Munhoz, a 04min04s0

10. D Mahserdjian/C Pereira, a 04min21s0

Resultados extraoficiais – etapa 6 (Acumulado)

  1. Rodrigo Varela/Filipe Palmeiro – Can-Am – 24:28:48
  2. Denísio Casarini/Ivo Mayer – Can-Am – +01:10min
  3. André Hort/Matheus Mazzei – Can-Am – + 14:15min
  4. Otávio Leite/Wladimir Grunenberg – Can-Am – + 20:58min
  5. João Monteiro/Victor Hugo Melo – Can-Am – + 21:04min
  6. Rodrigo Luppi/Maykel Justo – Can-Am – + 23:43min
  7. Gabriel Cestari/Jhonatan Ardigo – Can-Am – + 24:02min
  8. Edu Piano/Solon Mendes – Can-Am – + 39:35min
  9. Aristides Mafra/Breno Rezende – Can-Am – + 40:44min
  10. A Montani/H Ribeiro – Can-Am – + 41:43min

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.