Sertões 2017: Gunter Hinkelmann e Vinícius Castro ficam em quarto no acumulado na Protótipos-T1

agosto 30, 2017 11:50 am
Gunter Hinkelmann e Vinícius Castro (#348 / Protótipo) (Marcelo Maragni/Fotop)

Gunter Hinkelmann e Vinícius Castro (#348 / Protótipo) (Marcelo Maragni/Fotop)

Gunter Hinkelmann e Vinícius Castro com equipe no pórtico de chegada em Bonito (Magnus Torquato/Fotop)

Gunter Hinkelmann e Vinícius Castro com equipe no pórtico de chegada em Bonito (Magnus Torquato/Fotop)

O piloto Gunter Hinkelmann e o navegador Vinícius Castro finalizam o 25º Rally dos Sertões, com um bom desempenho, apesar das duas penalizações, por não terem completado a primeira e a penúltima etapas. No somatório dos carros Protótipos-T1, a dupla da MSL do Brasil terminou na quarta colocação, com 30h28m48s64. Na última especial, o conjunto do carro #348 finalizou os 240,45 quilômetros em 2h57min31s07, o quarto melhor tempo da categoria e o 11º da geral dos carros.

A 25ª edição do Rally dos Sertões entra para a história como sendo uma das que mais exigiu conhecimento técnico de seus competidores e resistência dos veículos. Os 3.300 quilômetros de percurso, entre a partida em Goiânia (GO), no dia 19 de agosto, e a chegada, hoje, em Bonito (MS), começaram dando o tom já com uma primeira prova intensa, de cerca de 310 quilômetros, seguido por duas provas da Maratona, e com a longa quinta etapa, de pouco mais de 438 quilômetros. O ineditismo do roteiro, que pela primeira vez passa pelo Mato Grosso do Sul, em terras do Pantanal, também foi um outro fator que equiparou o grau de dificuldade dos pilotos, já que alguns nunca haviam passado por estas regiões competindo. Foram sete dias desgastantes, porém de pura aventura, tanto para os competidores, quanto para as máquinas e para as equipes de apoio, que seguiram todo o percurso em caravana.

Gunter Hinkelmann e Vinícius Castro (Victor Eleutério/Fotop)

Gunter Hinkelmann e Vinícius Castro (Victor Eleutério/Fotop)

Foram disputadas sete etapas na edição 2017, entre os dias 19 a 26 de agosto (Doni Castilho/Fotop)

Foram disputadas sete etapas na edição 2017, entre os dias 19 a 26 de agosto (Doni Castilho/Fotop)

E com a dupla da Mitsubishi L200 Triton RS da MSL não foi diferente. O carro passou por um percurso de alto grau de dificuldade, teve alguns problemas mecânicos, mas a equipe contornou tudo isso, tornando possível o resultado obtido por Gunter e Vinícius. “Foi um rali muito duro, começando pelo primeiro dia, que foi o mais complicado, em que a gente não pode completar, e isso nos já nos prejudicou, por causa da penalização. Nos dias seguintes, conseguimos completar as provas entre os mais rápidos da categoria, evoluindo sempre e aprimorando o carro, mas ontem tivemos uma quebra de câmbio, que também nos fez abandonar a prova”, diz o navegador Vinícius Castro.

“Hoje, foi uma percurso duro, mas conseguimos completar. O carro foi preparado especialmente para os Sertões e a gente sabe que ele tem potencial. Eu e Gunter temos um bom entrosamento e acreditamos que o resultado seria melhor se todas as corridas fossem completadas”, acrescenta Vinícius.

A sexta etapa teve chegada em Aquidauana (MS) (Gustavo Epifanio/Fotop)

A sexta etapa teve chegada em Aquidauana (MS) (Gustavo Epifanio/Fotop)

“Agora é fazer um balanço do que precisa ainda ser melhorado para voltarmos em 2018 com tudo e com melhores colocações”, finaliza Gunter Hinkelmann.

A última especial da edição histórica dos 25 anos de Rally dos Sertões encerra a competição com chave de ouro. Em meio à paisagem estonteante da região sul do Pantanal, o trecho cronometrado começou rápido, seguiu por estradas em fazendas bem sinuosas, trechos com trial e muitas pedras, e voltou a ficar rápido até o fim.

Já em Bonito, a festa do 25º Rally dos Sertões segue bonita, com a chegada dos pilotos. A cerimônia de premiação também será no mesmo local, na Praça da Liberdade, na Rua Coronel Pilad Rebuá, a partir das 21 horas.

Em 2017, a MSL do Brasil conta com a assistência técnica da X-Rally Team e com patrocínio da ICargo, IFS, Seeder, Pier17, Correias Schneider e Bandeirantes Terminais Alfandegados.

 

Resultados extra-oficiais

7ªetapa  – Protótipos-T1

1° #327 Jorge Junior / Joel Kravtchenko – 2h37m54s59

2° #305 Luis Carlos Nacif / Filipe de Oliveira – 2h44m18s50

3° #322 Michel Terpins / Maykel Neder Justo – 2h50m59s82

4° #348 Gunter Hinkelmann / Vinicius Castro – 2h57m31s07

5° #338 Fabio Ruediger / Eduardo Bampi – 3h02m38s39

6° #307 Paulo Pichini / Paulo Bomba – 3h15m29s56

7° #314 Mauro Guedes / Neurivan Calado – 3h16m10s05

8°#326 Pedro Prado Filho / Joaquim Filho – 3h17m47s89

 

Classificação acumulada da Categoria Protótipos-T1
1° #322 Michel Terpins / Maykel Neder Justo – 24h18m15s99

2° #314 Mauro Guedes / Neurivan Calado – 26h55m49s29

3° #307 Paulo Pichini / Paulo Bomba – 28h14m43s71

4° #348 Gunter Hinkelmann / Vinicius Castro – 30h28m48s64

5° #327 Jorge Junior / Joel Kravtchenko – 31h27m56s77

6° #338 Fabio Ruediger / Eduardo Bampi – 33h50m25s43

7° #310 Luiz Facco / Humberto – Piaui  37h27m09s67

8° #305 Luis Carlos Nacif / Filipe de Oliveira – 38h09m36s80

9° – #326 Pedro Prado Filho / Joaquim Filho – 43h52m32s65

Print Friendly


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Jornal Mais Offroad. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.