Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin terminam em quarto no México

abril 4, 2017 8:26 am

308780_692559_photo_12_reinaldovarela_press

Com experiência em centenas de provas de rally e off-road, vitórias e títulos no Mundiais, e foi na primeira visita ao México que os brasileiros Reinaldo Varela (Divino Fogão/Blindarte/Can-Am/Tecmin) e Gustavo Gugelmin encontraram a corrida mais difícil da carreira de ambos. No último final de semana (01/4) os brasileiros terminaram na quarta posição na Score San Felipe 250, disputada no Estado Baixa Califórnia, no México, a 190 km da fronteira com os EUA.

308780_692558_2017_04_01_photo_114_reinaldovarela_mexico_press“É uma festa muito grande, com 209 participantes de 10 países diferentes, mas é uma prova que judia demais do carro e terminamos quebrados. É muito dura”, comenta o bicampeão mundial e octacampeão brasileiro de Rally Cross Country Reinaldo Varela, quarto colocado depois de seis horas para percorrer os 437,5 km pelo árido deserto de San Felipe.

Os brasileiros tiveram uma competição difícil em todos os sentidos. Primeiro o carro apagou na primeira parte, por causa de curto-circuito na chave geral. No abastecimento o carro morreu, porque o fio do alternador, e na fase final quebrou a vareta de acionamento do acelerador, que teve que ser soldado durante a competição. E a dupla sofreu muito fisicamente.

“A corrida é difícil, bate tudo no carro, tem que se segurar no banco o tempo inteiro. Foi mais difícil do que qualquer etapa do Rally Dakar que já fizemos, do que qualquer corrida, qualquer trial. Aqui a gente ignora as lombas e vem voando, batendo pra tudo quanto é lado, é um outro tipo de navegação e pilotagem. Difícil explicar como é difícil”, relatou o navegador Gustavo Gugelmin, feliz por pelo menos ter terminado a prova.
“O pior é que tivemos que desviar de um concorrente que estava com problemas para não bater e o Reinaldo atropelou um cacto, que entrou, caiu no meu colo e ficou alojado nas minhas costas. Estou cheio de espinhos nas pernas e no ombro direito. Desta vez não foram ossos do ofício, foram os espinhos do rally”, completou o catarinense.

Varela e Gugelmin participaram da Score San Felipe 250 com um Buggy leve, equipado com motor Honda Acura de 4 cilindros e 2.5 litros, com 250 hp, tração 4×2 e câmbio sequencial de 6 marchas.

Os seus primeiros na Classe 10 na Score San Felipe 250 foram: 1) Broc Dickerson, 5h20min19s418; 2) Justin Davis, 5h36min52s847; 3) Cody Reid, 6h20min25s951; 4) Reinaldo Varela, 6h44min43s160; 5) Chip Prescott, 7h28min14s227; 6) Lars Ferry, 10h15min08s821.
308780_692557_2017_04_01_1593_reinaldovarela_mexico_terceiro_press
Curta www.facebook.com/DivinoFogaoRallyTeam
Visite www.score-international.com

Print Friendly


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Jornal Mais Offroad. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.