Especialista em JPX dedica a vida ao jipe que tomou seu coração

setembro 20, 2016 11:18 am

img_2165

Marcos Luiz Afonso poderia ser apenas mais um apaixonado pelo Off Road e que fizesse suas aventuras de vez em quando, mas não. Além de gostar do fora de estrada, Marcos leva uma outra paixão consigo: os jipes JPX. A fixação é tanta, que o aventureiro se tornou um especialista neste tipo de máquina e coleciona histórias no mundo 4×4.

img_2169Seu pai, que teve um Willys e uma Rural, acabou passando ensinamentos vastos para o filho, inclusive no campo da mecânica. Após fazer trilhas com motos e acabar se acidentando, ele resolveu olhar com mais carinho para os jipes.

“Nunca fui muito fã do Willys, por ser muito comum talvez, então embarquei num Javali. Depois de desmontá-lo e remontar novamente, fui para a Cantareira. Não estava contente com o desempenho, então levantei um pouco a suspensão,  coloquei pneus maiores e um motor opala 6cc. Depois pesquisando conheci o JPX, e em 2009 comprei uma em Belo Horizonte, original com carroceria de madeira. Logo que chegou fui dar uma voltinha no Pinheirinho, só pelas beiradas, por não conhece-la e estar só, então estava no tobogã e passaram uns três bajas. Não resisti e fui atrás: não deu outra, chegando no atoleiro entrou barro na correia dentada e já era, fui buscar depois com os amigos”, recorda.

pik-up-jpxIndo para Minas Gerais para visitar a sogra, Marcos acabou descobrindo um ferro velho que vendia diversas coisas e lá achou mais material de JPX. “O Paulão (proprietário) havia comprado um lote no leilão de  fechamento da JPX e tinha um monte de peças por lá, sempre oferecia para levar tudo, até que um dia fechamos negócio e carreguei todas as peças e comecei a revendê-las, isso em 2010. A coisa foi fluindo e tornando-se lucrativo, então comecei a procurar por mais peças, peguei outro lote do Edu Piano, próximo de Sorocaba/SP, outro lote pequeno em Teresópolis/RJ de um ex funcionário da Alpina, e o último e grande lote do Carlinhos de Itaborai/RJ, e por aí foi”, conta. A partir daí, o off roader criou a loja virtual “Casa do JPX”, e chegou a mandar produzir peças e importar outras. Atualmente, soma mais de 200 itens, sempre atrás de JPX.

“A opção por JPX foi por ser um 4×4 mais novo, moderno, bonito, confortável, de excelente suspensão e em minha opinião o melhor custo benefício atualmente, sendo apenas o motor seu ponto fraco para uso severo. Fora o motor posso dizer que é difícil de superá-lo em trilhas, tem seu peso reduzido, ótimo ângulo de entrada e saída, suspensão imbatível por qualquer modelo disponível em nosso mercado”, enfatiza.100_2079

Há três anos, Marcos deixou o trabalho nos Correios para se dedicar exclusivamente para a Casa do JPX. “Essa opção foi feita em cima de paixão pura, gosto e faço tudo o que for preciso num jipe, desde consertos de elétrica, mecânica, funilaria, pintura, até reformas e adaptações, só que não disponibilizo para terceiros, por trabalhar sozinho e não ter tempo disponível, e além da venda de peças, também compro, reformo e vendo JPX.”

Para quem quiser conhecer mais o seu trabalho há diversas formas de encontrar informações, seja pelo site: www. casadojpx.com.br, telefones: (11) 98160-4771 ou (11)- 94756-0877 e ainda ao vivo na Av. Maués, n° 160, Guarulhos/SP (residência) ou Rua Três Fronteiras, n° 100, Guarulhos/SP (depósito) ou ainda no e-mail: contato@casadojpx.com.br.

“Na questão JPX tenho conhecimento profundo e sei de todos parafusos e peças que o compõe, e sempre a preocupação em compartilhar meu conhecimento e experiências com todos que me procuram, não ficando apenas com a preocupação da venda. Muita gente que liga apenas para tirar dúvidas ou encontrar soluções”, concluiu.

Print Friendly


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Jornal Mais Offroad. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.