Can-Am é destaque nas disputas e nos bastidores do Rally dos Sertões

setembro 20, 2014 12:32 pm
Vinícius Mota e Rafael Shimuk, campeões dos UTVs com o Can-Am Maverick no Rally dos Sertões 2014 Foto: Idário Café/Mundo Press

Vinícius Mota e Rafael Shimuk, campeões dos UTVs com o Can-Am Maverick no Rally dos Sertões 2014
Foto: Idário Café/Mundo Press

O Rally dos Sertões 2014, o desafio mais duro do calendário nacional off-road, destacou a Can-Am dentro e fora das trilhas. Além de vencer a categoria para UTVs com o Can-Am Maverick de Vinícius Mota e Rafael Shimuk, a marca canadense faturou o título da categoria QDA dos quadriciclos com o Can-Am Renegade de Gabriel Varela, terceiro mais rápido da classificação geral. O balanço ficou ainda mais positivo com os resultados das ações sociais realizadas paralelamente ao evento pela equipe do projeto Ideia Fixa, patrocinado pela Can-Am, que beneficiou diretamente mil crianças e adultos carentes.

A 22ª edição do Rally dos Sertões teve fim no último sábado, em Belo Horizonte (MG), após mais de 2.500 quilômetros desafios, sendo que a largada foi uma semana antes, no dia 23 de agosto, em Goiânia (GO). A Can-Am comprovou a qualidade de seus produtos na competição e ainda reforçou a preocupação com o aspecto social – motivos de sobra para muita comemoração. “O balanço é muito positivo em todos os sentidos, conquistamos resultados consistentes e importantes para a marca”, comentou Adilson Greco Gaspar, do marketing da Can-Am no Brasil.

Na equilibrada disputa dos UTVs, o Can-Am Maverick assegurou o segundo título consecutivo do Rally dos Sertões. A categoria foi criada em 2012 e Carlo Collet e o navegador Marcos Lara foram os campeões no ano passado, a bordo do veículo. “Pudemos conferir um número maior de pilotos que competiram com o Maverick, comparado ao ano passado. As disputas foram de alto nível esportivo e as mudanças na classificação ocorreram a cada dia. Outro ponto muito positivo, que valorizou ainda mais a conquista, foi que tivemos a vitória de Vinícius Mota e Rafael Shimuk, ambos estreantes no Sertões, e com um Maverick praticamente original – mesmo diante de tantos competidores experientes e consagrados na categoria”, lembrou.

O percurso da prova foi um desafio extremo de resistência para os veículos e participantes, com grande variedade de terrenos. Houve passagens por montanhas, travessias de rios, lombas, mata-burros e muita pedra, além de trechos de altas velocidades e outros completamente travados. “A prova é extenuante para os participantes e seus veículos, porém podemos dizer que os problemas técnicos da Can-Am foram mínimos e a maioria dos casos em que não tivemos uma boa classificação foi por causa externa. Mesmo com as alterações necessárias para a prova, com peso adicional e mais tempo em uso, os Maverick geralmente lideraram a classificação a cada dia de Sertões”, explicou Gaspar, ressaltando que as disputas ainda somaram pontos para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country.

Ações que fazem diferença – A Can-Am também saiu vitoriosa por meio das ações sociais desenvolvidas pelo Ideia Fixa em cidades que fizeram parte do roteiro da prova. O projeto beneficiou durante o 22º Rally dos Sertões cerca de mil adultos e crianças por meio de doações. A iniciativa teve início em Pirenópolis (GO), no PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil), e passou ainda por Paracatu (MG), na Escola Municipal Professora Ada Santana Ribeiro, pela escola da zona rural de São Francisco (MG) e pelo Distrito do Guinda, em Diamantina (MG).

As doações incluíram itens como kits de beleza e higiene pessoal, produtos de higiene bucal, folhas de atividades, livros infantis e jogos de coletes, apitos e bolas para montagem de times do projeto “Dando Bola Pro Sertão”, além de chocolates, quebra-cabeças e revistas. “Aprendi mais uma vez que fazendo pequenos gestos de solidariedade podemos juntos acreditar sim em dias melhores, em pessoas melhores. E unidos construir um mundo melhor, uma vida mais digna, mais humana, ou pelo menos mais alegre”, comentou Tânia Mara Carvalho, presidente do Ideia Fixa, que ainda diverte a criançada na pele da Gata Táta.

Adilson Greco Gaspar ressaltou a satisfação pela Can-Am fazer parte do projeto. “Temos a filosofia de apoiar iniciativas sociais e as ações sempre superam as nossas expectativas. Por mais que tenhamos ideia do impacto nas comunidades locais, a cada relato da Tânia Mara ficamos arrepiados e muito felizes em poder fazer parte dessas ações. Essa é uma condição indiscutível em nossas ações esportivas, seja em competições ou nos passeios para os proprietários de produtos BRP (o Can-Am Adventure Tours no fora-de-estrada; o Y-Ride com o roadster Spyder; e Jet Tours com as motos aquáticas Sea-Doo), nos quais os participantes fazem doações.”

Tânia Mara, do projeto Ideia Fixa, conta com o patrocínio da Can-Am para realizar ações sociais Foto: Divulgação/Ideia Fixa

Tânia Mara, do projeto Ideia Fixa, conta com o patrocínio da Can-Am para realizar ações sociais
Foto: Divulgação/Ideia Fixa

Tânia Mara acrescentou: “Agradeço imensamente aos parceiros do projeto, por tudo que proporcionaram a todos os envolvidos nas ações e pela confiança em mim depositada para a realização do trabalho. O rali se faz da força e da união de pessoas e de diversos fatores, e podemos dizer hoje que somos vencedores de mais esta etapa.” Em 12 anos de atuação, o Ideia Fixa beneficiou em torno de 125 mil pessoas em 14 Estados, por meio de 193 toneladas de doações e cerca de 145 mil livros para alunos de diversas escolas.

Print Friendly
Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Jornal Mais Offroad. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.